*.. e porque é na noite que encontro a calma que me acalma .. a razão que me dá vida .. a força e a coragem que me fazem acordar no dia seguinte .. para mais uma vez .. esperar.. esperar com ansiedade .. o regresso do meu Raio de Luar ..*

07
Out 08

SEPTEMBER- CRY FOR YOU

 

Ontem as tuas palavras foram: nao te quero iludir...

Para mim essas palavras chegaram.. Mas até nao fiquei muito triste, fiquei mais leve. Agora já sei que nao vale a pena.. ja sei que tenho de olhar em frente, e de seguir a minha vida.. vamos continuar a ser os melhores amigos, vou continuar a querer estar contigo.. mas tenho de por limites.. pq agora já sei que nao vale a pena o esforço, nao vale a pena lutar contra uma parede, porque a parede nao vai dasabar..

Mas agradeço do fundo do coração a tua sinceridade..pois graças a ela coloquei as minhas ideias em ordem e posso continuar o meu caminho sem o peso na consciencia de nao me ter revelado a ti, de nao ter sequer tentado.

A cada minuto que passa tento esquecer-te, fingir que nao és importante... .. mas é dificil.. parece que me estou a esconder de mim propria, daquilo que sinto, daquilo que quero, daquilo que escondo; nem o facto de nao gostares de mim me faz esquecer de ti.

Adoro cada traço teu, cada defeito teu, cada qualidade tua, cada sorriso teu, cada olhar, cada toque, cada abraço teu...

Cada momento passado contigo foi especial

...

Mas tenho de descer destes pensamentos, tenho de evitar pensar em ti, tenho de viver nesta realidade

...

Preciso respirar, preciso mudar.. Posso nunca mais gostar de alguem como gosto de ti.. mas quero voltar a sentir, voltar a gostar, nem que de maneira diferente, nem que durante apenas escassos instantes.. Vou guardar-t para sempre no meu coração, para sempre nas minhas memórias; vou arquivar-te para sempre nas minhas recordações..

..

*Amo-te para sempre...

Odiar-te-ei para sempre, por nao me teres amado um dia..*

publicado por Patti às 22:38
A Lua está...*: obrigad pela tua sinceridade..
Ao som de...*: September- Cry for you

 

Se algum dia olhaste nos meus olhos,

Não foi entrega o que neles viste.

São tantas lembranças e tantas hipóteses,

Mas não as memórias que a nós importariam

Faltou coração, aquele que calamos 

E não permitimos sentir.

Se um dia me tivesses perguntado,

Não te teria dito que era paixão o que sentia

Tinha medo e por isso calaria o espírito,

Apenas se tu me tivesses amado

Talvez assim te amaria de volta.

Nosso amor foi puramente platónico

És idealista e sou romântica, 

E essa sempre foi a nossa tendência.

Concordemos: quando se trata de amor,

Que sentido tem se uma das partes não sofre em silêncio?

Se houvesse resposta,

Devolveria as tuas últimas palavras, 

A mensagem que bem construíste.

Entrego-te porém o vazio,

Porque neste momento, as tuas palavras fogem-me

Pois como haveria eu de as ter, se nunca me foram ditas...

publicado por Patti às 22:20
A Lua está...*: triste... mas a olhar em frent

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


subscrever feeds
Sobre este Raio de Luar*
blogs SAPO